BLOG DO PALÓ - AVIAÇÃO

06 Abril 2010


O Microsoft Flight Simulator começou ser desenvolvido como um conjunto de artigos sobre gráficos de computador escritos por Bruce Artwick em 1976 sobre programas de gráficos 3D. Quando o editor da revista disse que os leitores queriam comprar o programa, Bruce Artwick incorporou uma companhia chamada subLOGIC Corporation em 1977 e começou a vender simuladores de voo para os computadores 8080 como o Altair 8800 e o IMSAI 8080.

 

Em 1979 a subLOGIC lançou FS1 Flight Simulator para o Apple II. Em 1980 a subLOGIC lançou uma versão para o TRS-80 e em 1982 eles licenciaram uma versão IBM PC com gráficos CGA para a Microsoft, o qual foi lançado como Microsoft Flight Simulator 1.00.

 

A subLOGIC continuou a desenvolver o produto para outras plataformas e, melhorado o Flight Simulator II, foi lançado para o Apple II em 1983, para o Commodore 64 e o Atari 800 em 1984 e para o Commodore Amiga e Atari ST em 1986. Enquanto isso, Bruce Artwick deixou a subLOGIC para fundar a Organização Bruce Artwick e trabalhar nos subsequentes lançamentos da Microsoft, começando com Microsoft Flight Simulator 3.0 em 1988.

 

Microsoft Flight Simulator chegou a maturidade comercial com a versão 3.1 passando então a utilizar gráficos 3D e hardware de aceleração para se tornar um produto de alta qualidade.


Em 26 de janeiro de 2009 a Microsoft informou o fecho do laboratório de desenvolvimento do Flight Simulator, o ACES Game Studio e a dispensa dos profissionais que desenvolviam o produto. O site oficial do Flight Simulator, [FSInsider.com] registou o facto, no artigo "About the Aces Team,":

"Esta difícil decisão foi tomada para alinhar os recursos da Microsoft com nossas prioridades estratégicas. O MS Flight Simulator X continuará disponível nas lojas, a comunidade continuará usando o software e continuaremos comprometidos com o produto no longo prazo."

De acordo com Phil Taylor, ex empregado do laboratório ACES, o fecho da unidade não foi devido a resultados financeiros adversos do MS Flight Simulator X, mas sim por questões gerenciais combinadas com atrasos de projecto e falta de pessoal, ao mesmo tempo em que a Microsoft tenta cortar custos.

Especula-se que futuras versões serão parte de um jogo para Internet ou do Xbox 360.

A versão actual do Flight Simulator conta com cerca de 25.000 aeroportos criados no mundo inteiro, alguns bem detalhados como os das principais cidades dos Estados Unidos e Europa. Estão incluídas no programa mais de 24 aeronaves para se voar, desde aviões do início do século 20 aos modernos jactos comerciais da atualidade.

O Flight Simulator também tem a possiblidade de simular o clima real, no qual informações sobre nuvens, vento entre outros itens,  são baixados pela internet. Também existe a possibilidade de se baixar Addons (como aeronaves, cenários de aeroportos, texturas do solo, etc).

Add-Ons
Com a intenção de aumentar a realidade do jogo, muitas empresas têm surgido para criar aeronaves, cenários e programas para melhorar os gráficos do solo, céu, mar entre outros itens.

Existem os Add-Ons pagos (chamados paywares) e os que são disponibilizados de graça em sites pelos próprios autores (Add-Ons freewares).

Um dos mais famosos é o FsPassengers que adiciona passageiros ao Flight Simulator

VAs (Virtual Airliners).


VAs são companhias virtuais que simulam companhias aéreas reais. Existem desde meados da década de 90. A maioria possui o mesmo sistema de funcionamento, pilotos que se inscrevem, ganham uma matrícula e passam a fazer voos em aeronaves e rotas  estabelecidas pela VA. Ao enviarem à companhia o seu relatório de horas de voo, os pilotos sobem gradualmente na hierarquia da empresa. Algumas VAs são baseadas em companhias aéreas verdadeiras e outras são fictícias.

Outro recurso do programa é a possiblidade de se voar online, ou seja, através de uma conexão com a internet onde pode haver interacção entre pilotos e controladores de voo. Hoje muitas companhias virtuais, as VAs (Virtual Airliners), operam em servidores na internet e os seus membros realizam voos baseados nas rotas de companhias reais.

Jogo ou Simulador?


O Microsoft Flight Simulator é tido por muitos como um simulador, mas no Brasil não pode ser assim chamado, pois não é homologado como tal. Para ser considerado um Simulador segundo as normas Brasileiras, ele precisaria ser uma réplica em tamanho natural, contendo instrumentos, equipamentos, painéis e controles de uma aeronave (ser uma cabine de avião em tamanho natural), possuir controles que simulem a rotação do piloto em três eixos, instrumentos reais (e não apenas no monitor) e ter sido avaliado, qualificado e aprovado pela ANAC.

Porém, uma característica muito interessante do Flight Simulator é que ele fornece todos os instrumentos de controle e navegação básicos da aviação, fornece o planeta terra inteiro de forma virtual e muito bem detalhado, com praticamente todos os aeroportos e a geografia dos locais, tais como relevo e condições climáticas, é muito semelhante à real.

Em alguns países (como EUA, por exemplo), o Flight Simulator é válido como simulador de voo e no Brasil, muitos dos simuladores de aeroclubes e companías aéreas nada mais são do que grandes computadores montados em uma réplica de cabine de avião, que usam o Flight Simulator para fazer a simução de voo. A única diferença é que, em vez de usar Teclado, Mouse e Joystick, os computadores são ligados a dispositivos iguais aos reais, como painel de rádio, manche, horizonte artificial, etc.

Sequência da série:


1982 – Flight Simulator 1.0
1984 – Flight Simulator 2.0
1988 – Flight Simulator 3.0
1989 – Flight Simulator 4.0
1993 – Flight Simulator 5.0
1995 – Flight Simulator 5.1
1996 – Flight Simulator 95
1997 – Flight Simulator 98
1999 – Flight Simulator 2000
2001 – Flight Simulator 2002
2003 – Flight Simulator 2004
2006 – Flight Simulator X

 

Em Cabo Verde, muitos pilotos reais pedem aos virtuais que lhes "deixem" fazer uns voos no FS, tendo havido um que, em vésperas de exame para o ATR 42-300 em Tolouse, treinou no Microsoft Flight Simulator de um dos pilotos virtuais da nossa praça.

publicado por Paló às 20:49

Olá amigo, vim aqui para deixa o link onde estão todas as obras do Cientista Herbert Alexandre Galdino Pereira da área de Eletromagnetismo Aplicado e Aviónica. Ele é autor da Teoria do Triângulo das Bermudas, que visa explicar o que ocorre com os aviões ao entrarem nessa zona, Teoria dos Celulares e Eletricidade Estática, e Orientação aos Aviadores Brasileiros ao voarem a Serra do Cachimbo, em Mato Grosso, pois existe campo Magnético na área do Brasil (relaciona-se ao vôo 1907 e com o Tráfico Aéreo). Entre outras obras.
Deixo o Link aqui em baixo para Leitura e Downloads das Obras deles.

http://www.scribd.com/people/documents/13555060-fuma-a

Um abraço.
Silva a 21 de Junho de 2010 às 15:45

pesquisar
 
Posts mais comentados

feedback
Many thanks.
Hi [Error: Irreparable invalid markup ('<br [.....
Entretanto mande-me uma print screen do parque de ...
Olá !O meu email é tw@netcabo.ptObrigado !Capt
Mande-me o seu email, por favor.
Olá !Os meus parabéns pelo blog e pelo magnifico c...
Caro AlexA minha interpretação ao texto que a F1 c...
Nº de Visualizações
blogs SAPO